Tudo o que você precisa saber sobre a receita

Tudo o que você precisa saber sobre a receita


A ganache é importante na confeitaria: ela pode ser cobertura de bolos e pode até virar sorvete, de chocolate e outros sabores! Veja curiosidades sobre ganache

Não tem jeito: para se dar bem na confeitaria, você precisa saber fazer uma boa ganache. A receita é um curinga na cozinha doce e pode ser usada desde em cobertura de bolos até em recheios de bombons e trufas.

A Coleção Ganache tem cinco cursos com tudo o que você precisa saber sobre o doce. As aulas ainda vêm acompanhadas de mais de 20 receitas, para que você arrase nas suas criações.

Para dar um gostinho, selecionamos abaixo fatos e curiosidades que você deve saber sobre a ganache. Lembre-se de assistir às aulas para aprender muito mais!

O que é ganache?

A ganache clássica é a mistura de creme de leite com chocolate – a teoria que define a ganache é a emulsão de gordura e água, por isso algumas receitas são feitas com outros ingredientes, como a manteiga. De toda forma, o resultado é um creme aveludado e brilhante, cheio de sabor.

Importantíssima na confeitaria, a ganache surgiu há muitos anos. E, como tudo que é centenário, há controvérsias e disputas sobre a sua origem: França e Suíça competem para serem a terra-natal da ganache.

Estima-se que a ganache tenha surgido no século 19. É curioso notar que a palavra “ganache”, em francês, significa “desprovido de inteligência”. Daí, nasceu a história de que a ganache foi inventada por acidente: um aprendiz de confeitaria derramou leite no chocolate derretido e, tentando esconder a bobagem, misturou os dois. Ao ver o erro, o chef o chamou de “ganache”, mas, ao experimentar o creme, admitiu que estava muito bom.

Acidente ou não, a ganache logo conquistou muito espaço na cozinha e passou a ser amplamente usada na confeitaria. Isso porque ela dá origem a muitas sobremesas: desde cobertura para bolos, passando por recheios até sorvete!

 

Tipos de ganache

Embora tenha um conceito bem simples, a mistura de creme de leite e chocolate, a ganache pode ser preparada com proporções e técnicas diferentes – e, claro, os resultados também são diversos.

A noção básica é: quanto mais creme, mais líquida é a ganache; quando mais chocolate, mais firme. As diferenças principais estão na textura e na consistência da ganache – a partir daí, você escolhe se ela vai melhor como cobertura de bolo, como recheio para bombom e etc. 

Confira, abaixo, alguns tipos de ganache – e desvende todos nos cinco cursos da Coleção Ganache.

Ganache para cobertura

Ideal para cobrir bolos e tortas e dar aquele toque super especial! Ela pode ser mais líquida (quando tem bastante creme de leite) ou mais densa (quando tem mais chocolate).

 

Ganache montada

É a ganache mais aerada, muito usada na cobertura de cupcakes, por exemplo. Ela tem muito mais estrutura do que a ganache comum e permite que o confeiteiro crie decorações.

Para isso, a ganache precisa descansar na geladeira e, depois, ser batida até o ponto de chantilly.

 

Ganache de corte

A ganache de corte é uma ganache bem mais consistente, que leva mais chocolate do que creme de leite e que exige bastante descanso na geladeira – em média, são 12 horas.

 

Quer saber muito mais sobre ganache?

Apesar de ser simples na teoria, a ganache carrega segredos, métodos e técnicas que podem melhorar – e muito! – as suas sobremesas.

Para descobrir tudo sobre ganache, confira a Coleção Ganache, que reúne cinco cursos on-line ministrados pela chef Paula Rizkallah. Ela ensina técnicas e métodos para que você faça deliciosos bombons, trufas e até chocolate quente (que também é ganache!), sorvete e a lindíssima ganache espelho. Não perca!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original