símbolo de liberdade ou uma nova prisão?

símbolo de liberdade ou uma nova prisão?


Antes da revolução dos cabelos brancos, eles eram sinônimo de “desleixo”, uma escolha de mulheres pouco vaidosas e que não se importavam com a aparência. Após a pandemia isso mudou radicalmente, já que durante o vírus da covid-19, os salões de beleza ficaram fechados, impossibilitando as mulheres de retocar a raiz do cabelo.

Depois de dois anos de isolamento, grande parte das mulheres assumiram seus cabelos brancos, provando que essa decisão não as torna menos vaidosas e sensuais.

Muitas mulheres são questionadas do motivo pelos quais não pintam o cabelo, e isso faz com que elas se tornem “prisioneiras” das tintas, pois se sentem pressionadas pela sociedade. Com a chegada dessa nova tendência dos cabelos grisalhos, a “liberdade” de assumir os brancos, também trouxe novos questionamentos “Por que você pinta o cabelo?”. 

Esse novo modelo de beleza é recente no Brasil, por isso, muitas mulheres ainda são criticadas quando assumem seus cabelos brancos. Isso acontece porque apesar de os discursos e comportamentos terem mudado, os valores culturais ainda permanecem. No Brasil o cabelo sempre foi um símbolo de feminilidade e sensualidade.


O cabeleireiro Abner Matias, dá dicas de como fazer a transição para os cabelos grisalhos (Reprodução/Youtube)


Em um depoimento encontrado pela revista Vogue, uma mulher expressa esse conflito “Até a pandemia começar, minha irmã me atormentava com cobranças: ‘Por que você não pinta o cabelo? Quer ficar uma velha decrépita? Você se aposentou como mulher?’ Ela não deixava um milímetro de raiz branca, dizia ser coisa de mulher sem vaidade, desleixada e velha.”

Com a pandemia, a irmã começou a ver muitas celebridades que pararam de pintar o cabelo e passou a achar fios grisalhos lindos. “Agora, veja só, ela que não deixava um só fio branco, começou a cobrar das amigas que pintam o cabelo, dizendo que as mulheres têm que se livrar dessas pressões da juventude, que o cabelo branco é muito mais elegante. Ela passou a tratar as mulheres que tingem o cabelo como traidoras do movimento de libertação feminina, pois elas não assumem que estão envelhecendo. De qualquer lado que estiver, ela está sempre tentando aprisionar as escolhas femininas a partir das suas próprias”.

Com isso, é possível chegar à conclusão que cada mulher que se liberta, liberta muitas outras. Mas, é importante lembrar que cada uma tem sua própria escolha, as mulheres não podem se tornam prisioneiras de novas prisões.

Foto Reprodução: Cabelo branco está na moda. Reprodução/ShvetsProduction/Pexels

LEIA MAIS

Descubra qual tom de loiro mais combina com você; Inspirações para arrasar no visual em 2022
Frizz sim! Conheça a tendência de 2022 que nos reconcilia com nossos cabelos
Carnaval em casa: saiba as tendências de beleza para arrasar na folia caseira

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original