Quer platinar o cabelo igual Karoline Lima? Saiba os riscos e os cuidados necessários – Lifestyle

Quer platinar o cabelo igual Karoline Lima? Saiba os riscos e os cuidados necessários – Lifestyle



Karoline Lima, Luísa Sonza, Agatha Moreira, Jade Picon e Manu Gavassi. Todas essas famosas têm ou já tiveram cabelos platinados. Os fios louros, quase brancos, da raiz às pontas são o desejo de muitas pessoas, mas é preciso saber que a descoloração total do cabelo oferece alguns riscos e pode não ser adequada para todas as pessoas.


Em primeiro lugar, antes de colocar o pó descolorante na cabeça, é preciso realizar um teste de mecha com um profissional para descobrir se os fios vão aguentar passar pela química. “O processo de descoloração abre as cutículas do cabelo para retirar o pigmento. Então, quanto mais escuros os fios, maiores são os riscos de quebra e sensibilização. O ideal é sempre exigir um teste de mechas antes de iniciar o procedimento para você ter segurança do resultado e o principal, descobrir se seu cabelo suporta o procedimento com segurança”, explica o hair stylist Luigi Moretto.


A cabeleireira Janny Mota diz que em alguns tipos de fio a descoloração pode ser mais perigosa e trazer mais riscos. “Para cabelos mais finos, ralos e que já possuem algum tipo de química, o risco é maior”, diz. Moretto completa que o ideal é que apenas cabelos virgens sejam  platinados.


“As pessoas que já têm química, como tinturas permanentes, alisamentos, escovas progressivas, botox, enfim, qualquer outra química, precisam entender que a incompatibilidade existe e as chances de ter um cabelo bem danificado são enormes. O ideal é realizar esse procedimento em cabelos virgens”, detalha.


Porém, mesmo que o cabelo passe no teste de mecha, os riscos ainda podem aparecer após a descoloração e com o tempo, caso não haja o cuidado adequado. O hair stylist fala que os riscos mais leves são desidratação e desnutrição, que podem ser corrigidos com tratamentos, mas o temido corte químico também pode ocorrer se a pessoa não seguir uma rotina de cuidados capilares.


Janny explica que os danos são maiores quando é feito um platinado global, em todo o cabelo. “Ele pode fica mais fino e acabar embaraçando mais. Dependendo do tempo da descoloração, pode deixar o fio com aspecto de elástico.”



A dermatologista Maria Paula Del Nero ressalta que não é apenas o cabelo que pode ser danificado nesse processo. A médica fala que o couro cabeludo também pode ser prejudicado e ficar mais sensível. “Poucos cabelos aguentam esse tipo de agressão”, analisa.


Para evitar danos ao couro cabeludo, Luigi Moretto aconselha que o profissional responsável pela coloração faça um teste na pele do cliente. “É muito importante fazer o teste de contato, principalmente se a cliente nunca realizou esse processo. Consiste em aplicar um pouco de produto atrás da orelha, na pele, e observar se apresente coceira ou inchaço. Isso vai evitar problemas sérios caso a cliente tenha alguma intolerância ao produto, principalmente para descolorações globais, onde o produto entra em contato com o couro cabeludo”, explica.


Com a descoloração feita e o cabelo platinado, não dá para relaxar nos cuidados e na atenção com os fios. A dermatologista explica que alguns cuidados são essenciais para evitar os danos, como a hidratação semanal, evitar contato com o cloro e diminuir a frequência do uso de secadores e chapinha.


A cabeleireira Janny Mota reforça que é essencial redobrar os cuidados com três fatores do cabelo: hidratação, nutrição e reconstrução. Ela recomenda que a pessoa com o cabelo platinado procure um profissional para fazer os tratamentos necessários.


“Os tratamentos precisam ser diferentes a cada sessão e o profissional precisa avaliar o que o cabelo necessita naquele momento. A manutenção do platinado depende de como a cliente gosta. Quando a raiz cresce, pode ser que algumas pessoas se incomodem e o indicado é que tenha um bom intervalo de tempo para não agredir tanto os fios”, conclui.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original