Lula cresceu em 3.300 municípios e reverteu derrota de Haddad em 368; Bolsonaro melhorou no Nordeste, mas perdeu força em 26 capitais

Lula cresceu em 3.300 municípios e reverteu derrota de Haddad em 368; Bolsonaro melhorou no Nordeste, mas perdeu força em 26 capitais


Nas eleições mais equilibradas desde a redemocratização, o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) superou o presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição, em 3.123 dos 5.570 municípios brasileiros no segundo turno. O atual mandatário terminou à frente em 2.445 localidades, e os dois empataram em outras duas − Guará (SP) e Irati (SC).

Em 12 estados Lula venceu em mais de 80% dos municípios: Bahia (100%), Ceará (100%), Paraíba (100%), Piauí (100%), Sergipe (100%), Pernambuco (99%), Rio Grande do Norte (99%), Maranhão (99%), Amazonas (94%), Alagoas (87%), Tocantins (83%) e Amapá (81%).

Já Bolsonaro venceu em mais de 80% dos municípios de Rondônia (100%), Roraima (93%), Santa Catarina (93%), Mato Grosso (87%), São Paulo (85%), Mato Grosso do Sul (84%) e Acre (82%). O candidato à reeleição também levou vantagem no Distrito Federal, onde está situada a capital Brasília.

Veja o desempenho dos candidatos em municípios por UF:

UF Municípios Lula % Bolsonaro %
AC 22 4 18% 18 82%
AL 102 89 87% 13 13%
AM 62 58 94% 4 6%
AP 16 13 81% 3 19%
BA 417 415 100% 2 0%
CE 184 184 100% 0 0%
DF 1 0 0% 1 100%
ES 78 17 22% 61 78%
GO 246 70 28% 176 72%
MA 217 214 99% 3 1%
MG 853 564 66% 289 34%
MS 79 13 16% 66 84%
MT 141 18 13% 123 87%
PA 144 103 72% 41 28%
PB 223 223 100% 0 0%
PE 185 184 99% 1 1%
PI 224 224 100% 0 0%
PR 399 113 28% 286 72%
RJ 92 20 22% 72 78%
RN 167 166 99% 1 1%
RO 52 0 0% 52 100%
RR 15 1 7% 14 93%
RS 497 122 25% 375 75%
SC 295 20 7% 274 93%
SE 75 75 100% 0 0%
SP 645 97 15% 547 85%
TO 139 116 83% 23 17%
TOTAL 5570 3123 56% 2445 44%

Considerando um recorte por tamanho de município, nota-se que Lula obteve participação maior de eleitores de pequenas cidades (com até 50 mil habitantes) em comparação com a representatividade deste grupo no total de brasileiros aptos a votar. Nessas duas faixas, o presidente eleito abriu vantagem de 5,6 milhões de votos sobre seu adversário.

Já Bolsonaro contou com maior participação de eleitores de municípios com população de 100 mil a 500 mil habitantes e de 500 mil a 1 milhão. Nessas faixas, o candidato derrotado conseguiu fazer frente de 3,9 milhões de votos − o que não foi suficiente para compensar o efeito das cidades menores.

Os dois candidatos tiveram proporção similar de eleitores residentes em cidades com mais de 1 milhão de habitantes, com uma vantagem de apenas 18.036 votos para o atual presidente.

Veja os detalhes na tabela abaixo:

Tamanho do município Eleitorado Participação (%) Lula % Bolsonaro %
Até 5k 3.994.261 3% 1.696.210 3% 1.387.064 2%
De 5k a 50k 47.086.055 30% 20.182.640 34% 14.852.947 26%
De 50k a 100k 17.656.596 11% 6.893.164 11% 6.425.768 11%
De 100k a 200k 16.190.371 10% 5.674.357 9% 6.685.842 12%
De 200k a 500k 22.503.142 14% 7.732.551 13% 9.602.191 17%
De 500k a 1mi 14.856.389 10% 5.236.520 9% 6.311.590 11%
Acima de 1mi 33.480.374 21% 12.777.652 21% 12.795.688 22%
TOTAL 155.767.188 60.193.094 58.061.090

Em comparação com o desempenho de Fernando Haddad (PT) na eleição presidencial de 2018, Lula conseguiu ampliar em quase 2 milhões de votos a vantagem sobre Bolsonaro nos pequenos municípios.

O petista também reduziu em 5,3 milhões a gordura do atual presidente em municípios de 100 mil a 500 mil habitantes e de 500 mil a 1 milhão de habitantes e empatou o jogo nas cidades com mais de 1 milhão − que haviam colocado Haddad em desvantagem de 4,7 milhões de votos no pleito anterior.

Na campanha que marcou sua volta à Presidência da República 12 anos depois de ter deixado o Palácio do Planalto, Lula conseguiu melhorar o desempenho petista em 3.300 municípios, considerando o percentual de votos válidos.

Leia também: Puxado por SP, Sudeste foi decisivo para vitória de Lula sobre Bolsonaro; veja desempenho por estado e região

‘Viradas’ decisivas

Lula superou Bolsonaro em 368 municípios em que o candidato à reeleição havia derrotado Haddad em 2018. Chamam atenção as “viradas” em 83 municípios paulistas − incluindo a capital São Paulo, São Bernardo do Campo, Osasco, Mauá e Cubatão.

Também se destacam 160 cidades mineiras – incluindo Juiz de Fora, Ribeirão das Neves, Sabará e Teófilo Otoni, que ganhou destaque nestas eleições por ter atraído os dois candidatos durante a campanha de segundo turno.

Desde 1989, nenhum presidente é eleito sem vencer em Minas Gerais e no Amazonas. Lula virou o jogo nesses dois estados e manteve a tradição nas eleições de 2022.

Desempenho de Lula no 2º turno em cidades paulistas (comparação com Haddad em 2018):

  • São Paulo: +1,255 milhões de votos (+13,92 pontos percentuais, de 39,62% para 53,54% dos votos válidos)
  • São Bernardo do Campo: +86.939(+13,40 p.p., de 40,43% para 53,83%)
  • Osasco: +78.682 (+13,54 p.p., de 36,86% para 50,40%)
  • Mauá: +47.780 (+15,28 p.p., de 37,93% para 53,21%)
  • Diadema: +45.647 (+12,02 p.p., de 48% para 60,02%)

Desempenho de Lula no 2º turno em cidades mineiras (comparação com Haddad em 2018):

  • Juiz de Fora: +48.717 votos (+8,45 p.p., de 47,64% para 56,09%)
  • Ribeirão das Neves: +30.770 (+10,22 p.p., de 40,41% para 50,63%)
  • Sabará: +13.768 (+12,21 p.p., de 38,39% para 50,59%)
  • Barbacena: +11.339 (+8,97 p.p., de 47,67% para 56,63%)
  • Teófilo Otoni: +9.758 (+4,82 p.p., de 45,35% para 50,18%)

Já Bolsonaro superou Lula em 54 municípios em que Haddad havia vencido na disputa de quatro anos atrás – todas com população abaixo de 100 mil habitantes.

Deste grupo, destacam-se localidades em Goiás e Santa Catarina (estados vencidos pelo atual presidente), Pará e Alagoas (vencidos por Lula).

Apesar de ter sido derrotado em todos os estados da Região Nordeste, Bolsonaro contou com o apoio de Arthur Lira (PP), presidente da Câmara dos Deputados, que pode ter contribuído especialmente em seu desempenho em Alagoas.

As cidades em que Bolsonaro conseguiu uma “virada” (comparação com o 2º turno da eleição de 2018)

  • Novo Repartimento (PA): +6.531 votos (+8,38 pontos percentuais, de 47,78% para 56,16% dos votos válidos)
  • Pacajá (PA): +4.652 (+11,97 p.p., de 48,14% para 60,11%)
  • Boca do Acre (AM): +2.370 (+7,19 p.p., de 47,47% para 54,66%)
  • São Geraldo do Araguaia (PA): +2.597 (+9,70 p.p., de 46,79% para 56,49%)
  • Porto Calvo (AL): +1.327 (+2,51 p.p., de 49,87% para 52,38%)

Considerando os 422 dos 5.570 municípios brasileiros em que houve virada do segundo turno de 2018 para o segundo turno de 2022, Bolsonaro saiu de um superávit de 2,45 milhões de votos para um déficit de 1,11 milhão. Este grupo de municípios concentra 23,35 milhões dos brasileiros aptos a votar – o que representa 14,93% do eleitorado do país.

Só em São Paulo, Bolsonaro foi de uma folga de 1,27 milhão para uma desvantagem de 486 mil votos. A fotografia se repetiu, em menor intensidade, em outras capitais, como Porto Alegre (de +105.224 para -57.299), Belém (de +76.789 para -4.807), Natal (de +24.832 para -27.575) e João Pessoa (de +40.055 para -925).

Em comparação com o desempenho de Fernando Haddad (PT) na eleição presidencial de 2018, Lula foi melhor nas 27 capitais em termos proporcionais. Já Bolsonaro caiu em todas, exceto Boa Vista, onde saiu de 78,61% dos votos válidos no pleito anterior para 79,47%.

Veja as variações de desempenho dos candidatos em todas as capitais:

UF Município Eleitores em 2022 2018 2022
Haddad Bolsonaro Lula Bolsonaro
Votos % válidos Votos % válidos Votos % válidos Votos % válidos
AC RIO BRANCO 266.883 32.937 17,23% 158.264 82,77% 53.873 27,49% 142.090 72,51%
AL MACEIÓ 627485 166.838 38,37% 268.027 61,63% 204.887 42,82% 273.549 57,18%
AM MANAUS 1415958 358.364 34,28% 686.999 65,72% 437.691 38,72% 692.580 61,28%
AP MACAPÁ 311.547 98.083 44,85% 120.603 55,15% 102.810 45,08% 125.261 54,92%
BA SALVADOR 1.983.198 985.532 68,59% 451.273 31,41% 1.089.899 70,73% 451.131 29,27%
CE FORTALEZA 1.869.135 739.265 55,61% 590.033 44,39% 880.559 58,18% 633.009 41,82%
DF BRASÍLIA 2.203.045 463.340 30,01% 1.080.411 69,99% 729.295 41,19% 1.041.331 58,81%
ES VITÓRIA 264.428 72.064 36,81% 123.734 63,19% 95.478 45,30% 115.293 54,70%
GO GOIÂNIA 1.032.004 183.731 25,80% 528.525 74,20% 289.172 36,05% 513.018 63,95%
MA SÃO LUÍS 749.873 306.690 57,78% 224.108 42,22% 363.131 60,38% 238.285 39,62%
MG BELO HORIZONTE 2.006.854 472.887 34,41% 901.513 65,59% 703.755 45,75% 834.548 54,25%
MS CAMPO GRANDE 639.873 135.939 28,73% 337.170 71,27% 187.109 37,35% 313.906 62,65%
MT CUIABÁ 427.797 109.681 33,06% 222.077 66,94% 133.852 38,50% 213.787 61,50%
PA BELÉM 1.065.620 351.193 45,07% 427.982 54,93% 431.858 50,28% 427.051 49,72%
PB JOÃO PESSOA 559.205 188.655 45,20% 228.710 54,80% 229.251 50,10% 228.326 49,90%
PE RECIFE 1.215.546 482.673 52,50% 436.764 47,50% 558.690 56,32% 433.317 43,68%
PI TERESINA 589.264 273.796 62,73% 162.652 37,27% 317.918 66,44% 160.558 33,56%
PR CURITIBA 1.413.413 241.015 23,46% 786.377 76,54% 391.675 35,22% 720.322 64,78%
RJ RIO DE JANEIRO 5.002.621 1.105.393 33,65% 2.179.896 66,35% 1.734.159 47,34% 1.929.209 52,66%
RN NATAL 583.079 195.938 47,02% 220.770 52,98% 246.881 52,96% 219.306 47,04%
RO PORTO VELHO 350.576 74.847 31,06% 166.145 68,94% 92.636 35,37% 169.299 64,63%
RR BOA VISTA 232.392 36.021 21,39% 132.361 78,61% 37.412 20,53% 144.799 79,47%
RS PORTO ALEGRE 1.103.600 331.419 43,15% 436.643 56,85% 437.798 53,50% 380.499 46,50%
SC FLORIANÓPOLIS 399.606 92.063 35,14% 169.952 64,86% 148.344 46,67% 169.495 53,33%
SE ARACAJU 423.799 155.892 52,76% 139.603 47,24% 190.875 57,26% 142.489 42,74%
SP SÃO PAULO 9.314.259 2.424.125 39,62% 3.694.834 60,38% 3.677.921 53,54% 3.191.484 46,46%
TO PALMAS 198.215 45.892 35,12% 84.782 64,88% 62.961 39,68% 95.715 60,32%

Lula avança em 1.569 cidades do Sudeste

O presidente eleito ganhou terreno especialmente em cidades do Sudeste (1.569) e do Sul (919). As duas regiões representam, respectivamente, 47,55% e 27,85% de todo contingente de municípios em que Lula conseguiu melhorar o desempenho em votos válidos comparado a Fernando Haddad em 2018.

Os estados que concentram o maior volume de cidades em que Lula cresceu foram Minas Gerais (769), São Paulo (643), Rio Grande do Sul (391), Paraná (304) e Santa Catarina (224).

Veja a lista dos municípios em que Lula mais conseguiu crescer em termos nominais (em comparação com o desempenho de Haddad em 2018):

UF Município Total de eleitores em 2022 Dif. (-) Variação
SP SÃO PAULO 9.314.259 1.253.796 +13,92 p.p.
RJ RIO DE JANEIRO 5.002.621 628.766 +13,69 p.p.
DF BRASÍLIA 2.203.045 265.955 +11,17 p.p.
MG BELO HORIZONTE 2.006.854 230.868 +11,34 p.p.
PR CURITIBA 1.413.413 150.660 +11,76 p.p.
CE FORTALEZA 1.869.135 141.294 +2,56 p.p.
SP GUARULHOS 928.404 134.095 +12,46 p.p.
RS PORTO ALEGRE 1.103.600 106.379 +10,35 p.p.
GO GOIÂNIA 1.032.004 105.441 +10,25 p.p.
SP CAMPINAS 878.715 104.938 +12,60 p.p.

Embora tenha vencido a disputa, Lula teve desempenho abaixo de Haddad, em votos válidos, em 2.270 localidades. O Nordeste (1.426), apesar de ter sido a única região em que Lula venceu Bolsonaro, responde sozinho por 43,21% dos municípios em que o petista registrou desempenho menor em votos válidos comparado a seu colega de partido no último pleito.

Na sequência, vêm as regiões Norte (338) e Sul (272), que representam 10,24% e 8,24% do total, nesta ordem. Apesar do número elevado, apenas 6 municípios têm mais de 200 mil habitantes: Boa Vista (RR), Caucaia (CE), Petrolina (PE), Arapiraca (AL), Juazeiro (BA) e Cabo de Santo Agostinho (PE). A média, nesses casos, foi de recuo de 1,2 ponto percentual.

Destes, Juazeiro foi o município que registrou o maior tombo do candidato petista: 2,70 p.p. em comparação com o pleito anterior.

Ao todo, 1.582 municípios deste grupo têm menos de 20 mil habitantes, considerando estimativa mais recente disponibilizada pelo IBGE. Juntas, elas somaram um déficit de 426.006 votos para Lula em comparação com Haddad – menos do que o presidente eleito cresceu no Rio ou em São Paulo.

Veja a lista dos municípios em que Lula mais perdeu votos em termos nominais (em comparação com o desempenho de Haddad em 2018):

UF Município Total de eleitores em 2022 População Dif. (-) Variação
PE PETROLINA 229.925 359.372 17908 -0,41 p.p.
CE CAUCAIA 235.150 368.918 13790 -1,52 p.p.
PA ABAETETUBA 119.594 160.439 10667 -1,38 p.p.
MA SÃO JOSÉ DE RIBAMAR 115.164 180.345 8174 -1,42 p.p.
PE CABO DE SANTO AGOSTINHO 160.540 210.796 7297 -0,45 p.p.
PA BARCARENA 94.687 129.333 7037 -1,60 p.p.
CE CRATO 92.790 133.913 6978 -0,33 p.p.
BA SIMÕES FILHO 87.633 137.117 6277 -1,34 p.p.
BA PORTO SEGURO 104.184 152.529 6196 -0,68 p.p.
BA BARREIRAS 103.075 158.432 6160 -0,01 p.p.

Em 2.016 municípios, Lula até teve mais votos do que Haddad em 2018, mas terminou com um percentual menor em votos válidos, já que o número de eleitores que compareceram às seções eleitorais cresceu em uma proporção maior do que o seu apoio.

Bolsonaro cresce em 1.426 municípios do Nordeste, mas mingua em 26 capitais

Apesar de Bolsonaro ter sofrido uma derrota expressiva no Nordeste, por 12.572.020 votos (um placar de 69,3% a 30,7% considerando os votos válidos), a região concentra o maior número de municípios em que o atual presidente melhorou seu desempenho em relação a 2018.

Dos 8 estados que concentram mais municípios em que Bolsonaro melhorou seu desempenho, apenas 1 não é nordestino: o Pará. A lista é comandada por Bahia (334), Maranhão (206) e Piauí (184) – curiosamente, os 3 estados que deram as vantagens mais folgadas a Lula na disputa, superando a casa dos 70% dos votos válidos.

Mas o desempenho não foi suficiente para compensar perdas em outras regiões e garantir a reeleição do atual presidente, que se tornou o primeiro na Nova República a tentar um novo mandato no Palácio do Planalto e ser derrotado.

Veja a lista dos municípios em que Bolsonaro mais conseguiu crescer em termos nominais (em relação ao desempenho de 2018):

UF Município Total de eleitores em 2022 Dif. (-) Variação
CE CAUCAIA 235.150 12.694 +1,52 p.p.
RR BOA VISTA 232.392 12.438 +0,86 p.p.
PA ITAITUBA 87.719 11.012 +6,75 p.p.
PE PETROLINA 229.925 9.521 +0,41 p.p.
PA CANAÃ DOS CARAJÁS 49.064 7.957 +0,83 p.p.
PA REDENÇÃO 65.286 7.861 +2,92 p.p.
BA JUAZEIRO 156.048 7.033 +2,70 p.p.
PA NOVO REPARTIMENTO 45.781 6.531 +8,38 p.p.
PA SÃO FÉLIX DO XINGU 42.870 6.415 +6,50 p.p.
AL ARAPIRACA 150.627 6.299 +1,25 p.p.

Bolsonaro perdeu tração em praticamente todas as capitais dos estados, além de 1.569 cidades do Sudeste e 919 municípios do Sul. As duas regiões responderam por, respectivamente, 47,55% e 27,84% das cidades em que o atual presidente teve um desempenho pior em relação ao pleito anterior.

As unidades federativas que encabeçam esta lista são Minas Gerais (769), São Paulo (643), Rio Grande do Sul (391), Paraná (304) e Santa Catarina (224).

Veja a lista dos municípios em que Bolsonaro mais perdeu votos em termos nominais (em relação ao desempenho de 2018):

UF Município Total de eleitores em 2022 Dif. (-) Variação
SP SÃO PAULO 9.314.259 -503.350 -13,92%
RJ RIO DE JANEIRO 5.002.621 -250.687 -13,69%
MG BELO HORIZONTE 2.006.854 -66.965 -11,34%
PR CURITIBA 1.413.413 -66.055 -11,76%
RS PORTO ALEGRE 1.103.600 -56.144 -10,35%
DF BRASÍLIA 2.203.045 -39.080 -11,17%
SP SANTO ANDRÉ 583.388 -38.272 -14,71%
SP SÃO BERNARDO DO CAMPO 639.960 -33.340 -13,40%
SP CAMPINAS 878.715 -33.033 -12,60%
RJ SÃO GONÇALO 670.644 -30.707 -11,93%

Em 1.959 municípios, Bolsonaro até teve mais votos do que em 2018, mas terminou com um percentual menor em votos válidos devido à diferença no comparecimento de eleitores neste pleito.

Os números reforçam a percepção de que, por mais que a vantagem de Lula tenha sido construída pelo já esperado expressivo desempenho no Nordeste, a derrota de Bolsonaro também é explicada em grande medida pela desidratação em localidades estratégicas de grande porte – especialmente no Sudeste.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original