Intel acredita que escassez de chips continuará até 2023

Intel acredita que escassez de chips continuará até 2023

O segundo ano dos mais recentes consoles da indústria, isto é, Xbox Series X/S e PlayStation 5, se iniciou recentemente. Ainda assim, é comum que os videogames da atual geração esgotem rapidamente quando as principais redes de varejo liberam novos lotes dos produtos.

Isso acontece por alguns motivos, incluindo o aumento de bots online que adquirem automaticamente os consoles para revenda, mas principalmente por conta da escassez de chips para fabricação dos videogames.

Com a falta desses semicondutores, as unidades são produzidas em uma velocidade reduzida e em menor quantidade, indo contra a demanda de mercado. E os CEOs das principais fabricantes já estão cientes desse cenário.

Em outubro, a CEO da AMD, Lisa Lu, afirmou que a escassez de chips poderia durar até 2022. Em contrapartida, o CEO da Intel, Pat Gelsinger, acredita que a falta dessas peças deverão durar até 2023.

As informações são do Nikkei Asia (via GameInformer), cuja reportagem prevê uma lacuna no fornecimento de consoles da atual geração, PCs e outros dispositivos de tecnologia – incluindo carros -, por parte dos Estados Unidos.

“A escassez geral de semicondutores é bastante significativa e a indústria de semicondutores estava crescendo cerca de 5% ao ano antes do COVID-19”, disse Gelsinger em entrevista.

“O COVID-19 interrompeu as cadeias de abastecimento, fazendo com que elas ficassem negativos. A demanda explodiu 20% ano a ano e as cadeias de abastecimento interrompidas geraram uma lacuna muito grande… e essa demanda explosiva persistiu.” Gelsinger ainda acrescenta que leva tempo para atender às capacidades que preencheriam essa lacuna, devido ao tamanho da demanda.

Esta não é a primeira vez que o CEO projeta a falta de chips pelos próximos anos: em julho, ele falou em uma teleconferência da Intel sobre essa questão. Felizmente, a Intel está reagindo e afirma estar construindo novas instalações no Arizona e Novo México para ajudar com a escassez de semicondutores.

Vale apontar que a Big N também foi afetada pela falta de chips. Em um recente relatório financeiro, a empresa japonesa revelou espera produzir 20% menos Nintendo Switch entre o final de 2021 e março de 2022, o que reduziu as expectativas de vendas em cerca de 6 milhões de unidades.

Outro exemplo é a Valve, que também precisou adiar o lançamento de seu Steam Deck por conta da escassez de semicondutores no mercado. Seu portátil agora possui lançamento previsto para fevereiro de 2022.


Inscreva-se no canal do IGN Brasil no Youtube e visite as nossas páginas no Facebook, Twitter, Instagram e Twitch! | Siga Jessica Pinheiro no Instagram e Twitter.



Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original