Esfoliação química, física e biológica: entenda melhor as diferenças

Esfoliação química, física e biológica: entenda melhor as diferenças


Uma rotina de cuidados com a pele completa caiu nas graças do brasileiro, e a etapa de esfoliação é complemento dela, independente do seu tipo de pele. Mais frequente em peles oleosas e mistas (uma vez que são mais resistentes à agressões externas e se recuperam mais rapidamente), a esfoliação é um processo do skin care que preza pela renovação celular, removendo as células mortas e incitando uma maior produção de colágeno. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a esfoliação é uma das etapas mais importantes para garantir a saúde e bem estar da pele, garantindo, inclusive, sua aparência mais jovial por mais tempo.


Homem esfoliando rosto. (Foto: Reprodução/Blog Men’s Market)


Além disso, sua limpeza profunda colabora para a inibição do surgimento de cravos e espinhas, eliminando as impurezas que se depositam nos poros e impedem a ação eficiente dos dermocosméticos, proporcionando um resultado mais eficaz destes produtos. A esfoliação corporal, no entanto, evita os temidos pelos encravados – tornando-se um aliado na depilação: ao remover as células mortas e afinando a pele, esfoliá-la alguns dias antes de depilar a área desejada pode poupar a pele dos pelos encravados.

Sabendo da importância da esfoliação, é essencial que se conheça melhor os produtos responsáveis por essa etapa do processo de skin care e o tipo ideal para a saúde da sua pele.

Esfoliação física

A esfoliação física é feita de forma mecânica, removendo as células mortas a partir do atrito entre as partículas presentes no esfoliante e a pele. Deve ser realizada de forma gentil e com micropartículas que não sensibilizam a pele durante o atrito, ou seja, com grânulos ideais para esfoliar a pele. A opção física é o tipo de esfoliação mais comum, sendo, portanto, mais fácil de achar. Também, os cremes esfoliantes físicos acabam por serem mais baratos e mais seguros para peles facilmente sensibilizadas.

Esfoliação química


Esfoliante químico Peeling Solution. (Foto: Reprodução/Smile Cosmetics)


A esfoliação química consiste na remoção de células mortas presentes na superfície da pele, por meio da aplicação de cremes formulados com ácidos, em sua grande maioria, que promovem a descamação. Dentre os ativos mais comuns, estão o ácido glicólico, lático, málico, cítrico e mandélico – cada um possui a sua peculiaridade e participação no processo de esfoliação química. Esses produtos fazem com que as células mortas se desprendam, deixando a pele nova em evidência, que apresenta mais brilho e melhor textura.

https://lorena.r7.com/post/Burberry-x-Lea-T-a-mais-recente-collab-da-moda

https://lorena.r7.com/post/Top-5-melhores-momentos-da-moda-em-2021

https://lorena.r7.com/post/Italia-banira-criacao-de-animais-para-venda-de-peles


Esfoliação biológica

Também chamada de esfoliação enzimática, utilizam enzimas para ‘digerir’ o acúmulo de células mortas da superfície da pele. Os produtos podem conter ativos naturais (vindos de frutas como o mamão ou do abacaxi) ou sintéticos, quebrando proteínas e lipídeos na camada mais superficial da pele, ajudando na remoção das células mortas e deixando-a mais fina, uniforme e viçosa. Costuma ser bem tolerada até por peles mais sensíveis, deixando-as mais finas, uniformes, iluminadas e viçosas, melhorando a textura e colaborando na a manutenção da hidratação.

Foto destaque: Mulher com esfoliante físico no rosto. Reprodução/Freepik. 

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original