Distúrbio alimentar e seus sinais

Distúrbio alimentar e seus sinais


De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 10% dos jovens – em oposição a 4,7% da população geral – apresentam algum tipo de transtorno alimentar (TA) como anorexia, bulimia e compulsão alimentar. Conhecidos também como distúrbios alimentares, eles afetam a relação do indivíduo com a alimentação e, em alguns casos, as relações pessoais.

Dessa maneira, é importante o alerto dos pais e cuidadores em relação aos sinais da doença. A nutricionista e coordenadora do Genca (Grupo de Estudo em Nutrição e Comportamento do Acre), Camyla de Carvalho Guedine, aponta que esses transtornos são quadros psiquiátricos que causam alteração nos hábitos alimentares e trazem prejuízo a pessoa. A nutricionista ainda complementa: “Comportamentos alimentares inadequados acontecem porque se quer controlar peso e forma corporal. Às vezes é difícil de identificar, por isso é preciso prestar atenção na alimentação em diversos ângulos”.


Comer no quarto pode ser um sinal de distúrbio alimentar (Foto: Reprodução/Getty Images)


Entre os casos mais comuns, podemos citar: Anorexia nervosa, é quando o indivíduo cria uma visão distorcida de seu corpo e gera a necessidade de manter o peso abaixo do padrão; Compulsão alimentar, caracterizado pela ingestão de uma grande quantidade de alimentos de uma vez e com bastante frequência; Bulimia, é conhecida como compulsão alimentar, devido as medidas para evitar o ganho de peso; Tare (Transtorno Alimentar Restritivo Evitativo), é mais comum no público infantil e se caracteriza pela rejeição de grupos alimentares específicos, gerando uma restrição alimentar.

Entre os sinais mais comuns, podemos citar a preocupação constante com os rótulos de produtos, prática de atividades físicas com frequência exagera e a preferência por se alimentar no quarto. Em alguns casos é comum deixar de comer algum alimento que gostava, devido ao teor calórico, e também a preferência por beber água para evitar a fome. Outros sinais que podem ser destacados são: a escolha de roupas folgadas para esconder alterações no corpo; pular uma refeição para se alimentar em outra; a alimentação em horários incomuns, por exemplo, de madrugada; frequência na ida ao banheiro após a alimentação; checagem de peso diversas vezes durante o dia.

 

 

Foto Destaque: Distúrbio alimentar e suas complicações. Reprodução/Blog Nadarte.

LEIA MAIS

A importância da dieta no tratamento do câncer
Exercícios musculares podem reduzir risco de morte
Como prevenir as crianças no volta às aulas presenciais

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original