Diário do Alto Vale | Projeto do IFC auxilia pequenas propriedades

Diário do Alto Vale | Projeto do IFC auxilia pequenas propriedades


Reportagem: Rafaela Correa/DAV

O Alto Vale é uma região onde boa parte das pessoas trabalha na produção agrícola, sobretudo no cultivo de cebola, tabaco e grãos. Mas como sempre há espaço para coisas novas, um projeto do Instituto Federal Catarinense campus de Rio do Sul tem incentivado o cultivo de algumas espécies de flores como forma de complementar a renda, principalmente para mulheres de pequenas propriedades.

A professora Alexandra Goede de Souza é tutora do Programa de Educação Tutorial (PET) e membro da Equipe PhenoGlad que faz pesquisas com flores de corte. Ela conta que em Rio do Sul os trabalhos foram iniciados em 2018 com o cultivo de girassol, gladíolo e statice com um grupo de 12 estudantes de Agronomia.“Atualmente trabalhamos com três flores de corte: gladíolo, girassol e statice, todas já a nível de produtor rural. Existem iniciativas como estas no Brasil todo, vinculadas ao projeto denominado “Flores para Todos” da equipe PhenoGlad que tem sua origem na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Aqui temos seis produtores e creio que nos próximos anos conseguiremos ampliar a inserção das flores de corte entre os pequenos produtores rurais”, explica.

Alexandra ainda comenta que o projeto visa diversificar a geração de renda a produtores e fomentar o protagonismo feminino. “O objetivo do projeto Flores Para Todos é justamente levar opções de diversificação para geração de renda a estes produtores, promovendo melhoria na renda. Além disso, ele vem trabalhando forte no protagonismo feminino, uma vez que a maioria dos cultivos até o momento é realizado pelas produtoras. Atualmente temos produtoras em Rio do Sul, Aurora, Trombudo Central e Ituporanga”.

É o caso de Bruna Eduarda Petry, de Ituporanga, que por conta do curso precisou sair do emprego e então resolveu criar um viveiro de plantas suculentas, na casa dos pais. Passado algum tempo a professora falou sobre o cultivo de girassol e ela gostou da ideia. Há alguns dias ela colheu a primeira parte das flores.

“Quando comecei a cursar Agronomia, como é em período integral, eu tive que largar meu emprego. Então surgiu a ideia de produção de mudas de suculentas, comecei aos poucos e sempre busquei espécies diversificadas, com isso criei o Cantinho das Suculentas. Fui aumentando a quantidade de plantas, e fiz um viveiro. Hoje todas as plantas já somam quase 1000 espécies diferentes. Como sempre gostei de plantas de diversos tipos, a professora Alexandra me ofereceu pra produzir os girassóis de corte. É uma satisfação enorme você produzir diversas espécies de plantas, ver se desenvolver e na colheita é um momento único, eu conhecia o girassol de cobertura apenas, e quando vi esse girassol de corte, me apaixonei. É uma cor única dele, sem falar que gera uma renda extra”, destaca.

Bruna ainda enfatiza que ter tempo para as flores é uma forma de terapia que ajuda a lidar com o estresse do dia a dia. “Trabalhar com flores é uma terapia, é um trabalho que você tem satisfação de fazer, de cuidar e colher, gera bem estar, e não deixa tempo para se estressar com a correria do dia a dia”, completa.


Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original