Diário do Alto Vale | Palestras da Rede Feminina alertam para a importância da prevenção

Diário do Alto Vale | Palestras da Rede Feminina alertam para a importância da prevenção


Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Durante todo o Outubro Rosa voluntárias da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Ibirama tem intensificado as visitas a dezenas de empresas para fazer palestras alertando sobre a importância da prevenção do câncer de mama e de colo de útero. O objetivo é levar informação para conscientizar o público feminino de que as doenças podem  ser detectadas em estágio inicial quando as chances de cura são muito maiores.

Muito mais do que apenas falar da doença e apresentar o trabalho da Rede Feminina, nos eventos as mulheres podem conhecer histórias reais de quem já enfrentou o câncer e venceu a batalha como é o caso da voluntária Tayana Marchetti Meirelles que é uma das palestrantes e relata de uma maneira leve como foi todo o processo até a cura e mostra que existe vida após a doença.

Até o momento seis palestras já foram realizadas, principalmente em facções da cidade e outros estabelecimentos que concentram um grande número de colaboradoras. As palestras aconteceram na Karsten, Usina Salto Pilão, Xuxa Confecções, Confecções Heusser e LKJ Confecções e Supermercado Nardelli.

Os eventos continuam até o final de outubro com o foco principal de alertar as mulheres para a prevenção e importância da realização de exames periódicos como mamografias e preventivo que é oferecido gratuidade toda a semana pela entidade. A RFCC de Ibirama também doou 100 mamografias durante o Outubro Rosa.

Campanhas aumentam número de mamografias

Levantamento da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama), com base em dados do Datasus, mostra que o número de mamografias aumenta bastante durante os meses de outubro e novembro por causa das campanhas do Outubro Rosa.

Em 2019, por exemplo, foram 222.119 exames em junho, ante 330.239 em outubro e 305.703 em novembro. Em 2020, ano em que teve início a pandemia, o número de mamografias caiu bastante. Em maio, um dos piores meses do ano passado em número de internações e mortes, além da decretação de restrições para o comércio, o SUS realizou apenas 46.308 exames. Em outubro, no entanto, esse número chegou a 218.508. Em novembro, 258.951 mamografias.
“Este ano, com a vacinação atingindo cada vez mais pessoas, o número de mamografias deve ser ainda mais alto este mês”, avalia a mastologista Maira Caleffi, chefe do Setor de Mastologia do Hospital Moinhos de Vento e presidente voluntária da Femama.


Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original