Diário do Alto Vale | Bombeiros relatam ocorrências com cobras

Diário do Alto Vale | Bombeiros relatam ocorrências com cobras


Reportagem: Rafaela Correa/DAV

O aumento das temperaturas traz a tona um perigo para as residências de toda a região. É que nessa época do ano, normalmente ocorre um aumento do aparecimento de cobras em pátios de residências e até mesmo dentro das casas. Por isso, o Corpo de Bombeiros ensina como agir em situações de risco.

De novembro de 2021 até esta quarta-feira (12) já foram atendidas 46 ocorrências desta natureza no Alto Vale do Itajaí, 26 destas somente no município de Rio do sul. A cabo Bárbara Elisa da Silva, auxiliar do 15º Batalhão do Corpo de Bombeiros de Rio do Sul, explica que as cobras atacam quando se sentem ameaçadas e que por esse motivo é importante manter distância e não tentar fazer a captura.

“Ao avistar este animal em sua residência, mantenha-se afastado e não tente capturá-la. Entre em contato com o Corpo de Bombeiros ou Polícia Militar Ambiental para que façam a captura com segurança. Matar cobras é crime ambiental”, destaca.

Ela explica também que em casos de acidentes, o ideal é fazer a limpeza do local com água e sabão, além de manter a vítima hidratada e calma até a aplicação do soro adequado.

“No caso de acidente, deve-se lavar o local com água e sabão, manter a vítima deitada e calma, garantindo que a mesma esteja hidratada, oferecendo somente água e procurar serviço médico o mais rápido possível para que o soro adequado seja ministrado. Não faça torniquetes, nem tente cortar ou sugar o ferimento na intenção de retirar o veneno. Não se deve aplicar no local da picada nenhum remédio caseiro ou alimento pois estas substâncias podem contaminar o ferimento”, esclarece.

Bárbara comenta que o fato de as cobras serem carnívoras aumenta a probabilidade de elas aparecerem em locais com entulho, já que nesses ambientes vivem também os roedores.

“Para evitar o aparecimento destes animais é importante que se mantenham os ambientes e arredores de casa limpos, evitando o acúmulo de lixo ou entulho. Algumas espécies de serpentes são peçonhentas, portanto, para evitar acidentes não se deve colocar as mãos em buracos, manter a atenção ao encostar em árvores; utilizar calçados fechados em áreas próximas a matas, locais com lixo ou material entulhado”, sugere.

O maior índice de ocorrências nesse período tem a ver com um ciclo natural do animal. Elas aproveitam os meses quentes para saírem dos abrigos. “O aparecimento de cobras tem maior ocorrência no verão em virtude das altas temperaturas. Nos meses quentes, as cobras estão mais ativas e saem de seus abrigos para troca de calor, o período reprodutivo também ocorre nesta época. A crescente urbanização próxima a áreas de mata é um fator que pode explicar o aumento do aparecimento e maior visualização destes animais”, completa.

Para auxiliar pessoas com dúvidas sobre o assunto, o Centro de Informação e Assistência Toxicológica, em Santa Catarina, disponibiliza um telefone com ligação gratuita pelo 0800 643 5252, onde pode se ligar nos casos de dúvida sobre o tipo do animal encontrado, para saber se é peçonhento ou não e até receber as primeiras orientações em caso de acidentes.


Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original