Autoteste de Covid-19 precisa de autorização da Anvisa

Autoteste de Covid-19 precisa de autorização da Anvisa


O autoteste é uma das principais maneiras de descobrir se está infectado com o coronavírus, inclusive, ele já esta sendo usado por diversos países da Europa. No entanto, no Brasil, ele ainda não é autorizado. Mas, na última quinta-feira (13), o órgão do Ministério da Saúde enviou à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) um pedido de aprovação. No comuincado enviado à Anvisa, o Ministério da Saúde afirma que o autoteste deve ser utilizado como estratégia de triagem. “Devido ao curto tempo para o resultado, pode-se iniciar rapidamente o isolamento dos casos positivos e as ações para interrupção da cadeia de transmissão”, explica.

Além de tudo, o autoteste poderá ser aplicado por qualquer pessoa, independente se ela é sintomática ou assintomática, do seu estado vacinal ou idade. O ministério também adverte que ele tem que ser feito de uma maneira “livre e autônoma” por quem desejar. “É importante lembrar que ninguém deve ser forçado a realizar o autoteste”, diz a nota.

Em entrevista concedida à CRESCER, o pediatra e neonatologista, Nelson Douglas Ejzenbaum, membro da Academia Americana de Pediatria (AAP), explicou o seguinte: “O autoteste [de covid] pode ser feito em casa. A pessoa compra, ela mesmo faz e, a partir daí, consegue saber se está ou não infectada com covid”.


Frascos de vacina e coleta do Covid-19. (Foto: Reprodução/Wilfried Ponhke/Pizabay)


De acordo com o pediatra, caso o autoteste seja aprovado no Brasil, é possível que, consequentemente, seja usado em crianças. “É possível fazer em crianças, mas a coleta precisa ser feita por um adulto”, finaliza. Contudo, Nelson analisa que é muito importante realizar o autoteste corretamente, seguindo todas as etapas minuciosamente para que o resultado seja confiável. “Se houver falha no procedimento da coleta ou aplicação, pode implicar em um falso negativo, por exemplo, e isso é perigoso”, atentou.

Ademais, sobre o pedido de aprovação, o diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, diz durante um programa  intitulado “Em Foco”, transmitido na GloboNews, que a autorização do autoteste para a covid-19 depende de uma política pública exibida pelo Ministério da Saúde e enviada à agência. “Não é simplesmente liberar um autoteste para ser feito pelo próprio cliente, pelo próprio cidadão. Ele vem dentro de uma política pública de saúde. Porque é necessário uma previsão de uma série de fatores. Esse resultado precisa ser compilado, caso contrário a gente faz o teste e quem fica sabendo é só quem testou e o sistema de compilação nacional, então isso precisa existir”, afirmou.

 

Foto destaque: Teste de Covid-19. Reprodução/analogicus/Pixabay

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original