7 dicas para ter sucesso na cozinha

7 dicas para ter sucesso na cozinha


1. Escolha o chocolate certo

Esta é uma regra básica para qualquer tipo de cozinha: a qualidade dos ingredientes influencia diretamente o resultado final. Isso também se aplica ao chocolate.

Cada receita exige um tipo de chocolate. Os doces mais delicados, como bombom e trufa. precisam de um chocolate nobre, que seja top de linha.

Mas como saber se um chocolate é mesmo puro? Ele deve ter um alto teor de manteiga e massa de cacau em sua composição – segundo a legislação brasileira, um chocolate top de linha precisa ter, no mínimo, 25% de cacau. Além disso, um bom chocolate dispensa gorduras hidrogenadas ou fracionadas. 

A textura cremosa também é característica de um chocolate nobre. Essa cremosidade deliciosa exige cuidados: depois de modelado, o chocolate precisa ser temperado (passar um choque térmico; vamos explicar abaixo) para não derreter e conservar o brilho e a textura.

Se a ideia for fazer casquinhas de chocolate ou doces mais parrudos, como o pão de mel, o chocolate pode ser fracionado, ou seja, com mais gordura em sua composição (geralmente, óleo de palma). É um chocolate que não precisa ser temperado e pode ser usado logo que for derretido.

Dá para fazer alguma economia quando falamos de cobertura para bolos e outras decorações. Nesses casos, é possível usar o chocolate hidrogenado, que é mais barato e menos saboroso do que os chocolates puro e fracionado. Na produção do chocolate hidrogenado, a manteiga de cacau é substituída por uma gordura vegetal, como o óleo de soja. O resultado é um chocolate menos nobre, mas que resiste bem ao calor e às mudanças de temperatura.

 

2. Estude os tipos de chocolate

Não tem jeito: para mandar bem na confeitaria, tem que estudar – já que a cozinha também é feita de teoria, não só de prática! 

Para ter sucesso, você precisa conhecer os tipos de chocolate e para quais receitas eles são mais indicados.

Conheça, abaixo, os principais chocolates usados na confeitaria:

Chocolate amargo

Tem coloração bem escura por conter maior quantidade de massa de cacau, que varia de 75% a 85% (extra-amargo) e de 50% a 70% (amargo). A esse ingrediente é adicionada a manteiga de cacau.

 

Chocolate meio amargo

Com teor de massa de cacau que varia entre 35% e 50%, esse chocolate recebe açúcar, além de manteiga de cacau, o que ajuda a suavizar o sabor.

 

Chocolate ao leite

Com teor de cacau entre 30% e 40%, leva também manteiga de cacau, leite em pó (ou condensado) e açúcar.

 

Chocolate branco

Não contém massa de cacau, apenas manteiga de cacau, açúcar e leite em pó integral.

 

Chocolate em pó

Obtido a partir da moagem da amêndoa de cacau, é destituído da manteiga. Quando não há adição de açúcar, recebe o nome de cacau em pó.

 

3. Derreta o chocolate com atenção

Você vai reparar, nas dicas abaixo, que a temperatura do chocolate é muito importante. É por meio dela que controlamos os processos, para nada desandar. Por isso, é essencial ter um termômetro.

A boa notícia é que não é um investimento alto. É possível encontrar termômetros de cozinha por valores bem acessíveis. Veja sugestões de utensílios em nosso blog.

E esse utensílio vai ajudar muito na hora de derreter o chocolate – uma tarefa que parece simples, mas não é. Essa missão exige bastante atenção, para que a receita não desande. 

Há equipamentos profissionais para derreter o chocolate, mas, em casa, dá para fazer em banho-maria ou até no microondas.

O banho-maria é um método fácil e que garante o bom derretimento do chocolate. É simples: escolha uma tigela de inox, alumínio ou feita de material refratário (aquele que consegue manter altas temperaturas, como o vidro). Nela, acrescente o chocolate picado (se ele já estiver em callets, nem precisa). Escolha outro recipiente, um pouco maior, encha de água e leve ao fogo baixo.

Quando aparecerem pequenas bolhas de água nas laterais, a temperatura está boa (ela deve ficar entre 40ºC e 45ºC). Encaixe a tigela com o chocolate em cima e comece a mexer com cuidado – atenção para a água não respingar no chocolate. É importante também que a água quente não encoste no fundo da tigela que tem o chocolate.

No microondas, é preciso derreter o chocolate em etapas. Primeiro, coloque o chocolate picado em potência máxima, por um minuto. Retire do microondas e mexa. Coloque novamente a tigela no aparelho, por mais um minuto. Retire e mexa novamente. Como o chocolate não é bom condutor de calor, é preciso movimentá-lo para garantir a uniformidade. Vá repetindo esse processo até que o chocolate atinja 45ºC.

 

4. Cuidado com os chocolates ao leite e branco

Como os chocolates ao leite e branco são tipos que levam mais leite em sua composição, é preciso tomar mais cuidado ao derretê-los.

A temperatura não deve passar dos 45ºC – use e abuse do termômetro! 

Se o chocolate aquecer demais, haverá formação de grânulos de lactose, o que faz com que o produto final tenha uma textura arenosa e desagradável.

 

5. Faça a temperagem

Como já comentamos acima, os chocolates nobres precisam passar pela temperagem. Se esse processo não é feito, o chocolate derrete depois de ser modelado.

Ao contrário do que muita gente pensa ao ouvir “temperagem” pela primeira vez, o processo não tem a ver com tempero e sim, com temperatura. 

Também conhecida como têmpera, pré-cristalização ou choque térmico, a temperagem é um processo que resfria o chocolate de forma lenta e gradual. À medida que a temperatura vai baixando, a manteiga de cacau presente no chocolate começa a formar pequenos cristais, que garantem estrutura ao ingrediente.

Há vários métodos para se fazer a temperagem. Em casa, o jeito mais fácil é por indução. Reserve 30% do chocolate. Derreta, com cuidado, os 70% restantes. Acrescente o chocolate reservado e vá mexendo delicadamente, até que tudo esteja derretido e incorporado.

Nessa mistura, entre chocolate derretido e chocolate sólido, ocorre troca de calor e, consequentemente, o resfriamento gradual. No fim do processo, a temperatura não deve passar dos 30ºC.

 

6. Deixe o chocolate em temperatura ambiente

Depois de derretido e temperado, é importante que o chocolate sempre esteja em temperatura ambiente. Se esquentar ou esfriar, ele vai ficar “destemperado”, e a receita vai desandar.

Parece fácil, mas não é bem assim: tudo que entrar em contato com o chocolate também precisa estar em temperatura ambiente – até os moldes dos bombons! Isso porque se eles estiverem mais frios, por exemplo, o chocolate vai solidificar muito rápido e ganhará uma aparência opaca.

E, por falar em moldes, antes de usá-los, lave-os com sabão neutro, enxágue-os com álcool de cereais e deixe-os secar bem.

7. Guarde bem o chocolate

Mesmo depois de pronto, o chocolate continua exigindo cuidados. Qualquer variação de temperatura pode afetá-lo – por isso, guarde-o, por exemplo, em um armário, que tenha temperatura amena. 

Se passar por mudanças de temperatura – como dentro da geladeira ou sobre uma bancada num dia quente -, a manteiga de cacau sofre alterações e causa o embranquecimento do chocolate.

Mesmo assim, quer guardar o chocolate na geladeira? Então, envolva-o com um plástico-filme e coloque-o em um recipiente bem fechado. Tudo para evitar o contato com a umidade, que também prejudica o chocolate (sim, ele é bem sensível!).

Quer saber muito mais sobre cozinhar com chocolate? A nossa Coleção: Ganache tem cinco cursos que vão fazer com que você seja expert! As aulas ensinam desde fundamentos, passando pelos erros mais comuns (você vai descobrir como corrigir uma ganache talhada!) até receitas, como a lindíssima ganache espelho.

Tudo sobre chocolate

Da trufa à ganache espelho, temos um curso especial para você que vai trazer todo o conhecimento técnico bem embasado sobre ganaches, uma preparação coringa da confeitaria. Dos acertos aos erros mais comuns, passando por sobremesas que prometem sucesso. Deixe de ser apenas um executor de receitas para criar (e se deliciar com) os próprios doces com ganache. Conheça os nossos cursos! https://escola.tanamesa.com  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original